Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

A ação dos pais nos primeiros anos das crianças determina o futuro delas

pais e filhos primeiros anos das crianças primeira infância

A ação dos pais nos primeiros anos das crianças determina o futuro delas

pais e filhos primeiros anos das crianças primeira infância

Os seis primeiros anos das crianças são determinantes para o futuro delas. Isso porque neste período, denominado de primeira infância, ocorrem 90% das conexões cerebrais. Ou seja, é quando a base para a construção do indivíduo é moldada. E sabe quem são os principais engenheiros desta obra? Os pais.

É claro que o cérebro humano tem a capacidade de aprender sempre mais até o fim da vida. No entanto, o ritmo de apreensão de conteúdos diminui bastante após a primeira infância e tende a desacelerar cada vez mais com o passar dos anos.

Segundo estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, nos primeiros anos das crianças, as conexões cerebrais se formam a um ritmo de 1 milhão por segundo. Por isso, a primeira infância é considerada um momento único, que não pode ser desperdiçado.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância deste período e explicar por que a participação dos pais é decisiva para que o desenvolvimento da criança ocorra de maneira plena. Boa leitura.

 

Os 6 primeiros anos das crianças

Nos seis primeiros anos, o cérebro da criança está em ebulição. Milhares de novas conexões acontecem a cada segundo. Não era de se esperar menos. Afinal, nesta fase, a criança aprende uma infinidade de habilidades.

O aprendizado começa logo após o nascimento. O bebê, que antes recebia os nutrientes necessários pelo cordão umbilical, agora tem que chorar para manifestar suas necessidades de comer, de dormir e de ter sua fralda trocada.

Ainda no primeiro ano de vida, ele aprende interagir, sentar, engatinhar, ficar de pé e pode até arriscar os primeiros passos e palavras.

Com o passar dos meses, o bebê adquiri mais habilidades como rabiscar com lápis, subir e descer escadas, formar frases, comer sozinho, entre outras.

Nesses primeiros anos, ocorre também o desfralde e o aprendizado das cores, números, letras, preparando a criança para a alfabetização.

Além disso, na infância, o pequeno aprende a se relacionar com a família, professores e amigos. Ele tem as primeiras alegrias, tristezas, passa por momentos de raiva e de medo. Ou seja, começa a vivenciar as emoções sem saber muito bem a lidar com elas.

Enfim, os seis primeiros anos de uma criança é um período de aprimoramento crescente e acelerado das funções motoras, cognitivas, físicas, sociais e emocionais.

Tudo o que é semeado nesta fase é colhido por toda a vida. Uma criança bem cuidada e que recebe os estímulos corretos se torna um adulto autônomo, saudável e feliz. E não é só ela que é beneficiada.

Pessoas que receberam na infância saúde, segurança, nutrição, educação e afeto impactam positivamente no contexto social e econômico de uma nação.

É claro que muitos desses fatores dependem de políticas públicas de qualidade. No entanto, os pais ainda podem ser protagonistas da construção de uma sociedade melhor.

 

O papel dos pais no desenvolvimento dos pequenos

Quem molda o desenvolvimento são as pessoas que convivem com a criança”, disse o especialista em neurologia infantil Saul Cypel em entrevista ao site da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

Segundo ele, há evidências do ponto de vista neurobiológico de que as interações das crianças com as pessoas com as quais convivem influenciam o aprendizado de diversas habilidades, principalmente, as emocionais. E estas são molas importantes no processo de desenvolvimento.

Por isso, a importância de os pais atuarem no sentido de modelar os filhos para que eles sejam capazes de lidar com as emoções de maneira saudável. Desta forma, de acordo com o Saul Cypel, elas dariam “conta da vida delas no mundo”. Ou seja, saberiam lidar com a complexidade de escolhas e desafios da vida adulta.

Contudo, para que os pequenos alcancem esta capacidade, eles devem receber os estímulos ainda na infância, principalmente, nos seis primeiros anos de vida.

E, quais são os melhores estímulos para a aprendizagem das crianças?

Conversar, cantar, brincar e ler para elas! Estas ações reforçam o vínculo afetivo dos filhos com seus pais, o que é essencial para o desenvolvimento emocional dos pequenos.

 

Valorize e invista nos primeiros anos de seu filho

Apesar de a genética ter papel importante para a formação do indivíduo, o ambiente também exerce enorme influência neste processo. E quando se fala em ambiente, mãe e pai são as peças principais.

Por isso, se você deseja um futuro feliz para seu filho e, também, para o mundo, valorize e invista nos primeiros anos dele.

Uma boa primeira infância resulta em ganhos para a criança e para as próximas gerações.

Entre em contato conosco e conheça nossos materiais exclusivos para proporcionar uma infância plena para as crianças com o desenvolvimento da inteligência emocional em família.

Compartilhe em suas redes sociais!