Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

Obesidade infantil: danos físico, escolar, social e emocional

obesidade infantil criança acima do peso alimentação

Obesidade infantil: danos físico, escolar, social e emocional

obesidade infantil criança acima do peso alimentação

A obesidade infantil é um dos distúrbios mais comuns entre as crianças no mundo. No Brasil, cerca de 13% das pessoas de cinco a nove anos sofrem com ela, segundo dados do Ministério da Saúde.

O excesso de peso na infância pode ocasionar danos que vão perdurar por toda a vida. Além de problemas físicos, a obesidade pode comprometer o desempenho escolar, prejudicar as relações sociais e ainda abalar a saúde mental da criança.

Nesse tempo de isolamento social, a obesidade infantil se torna ainda mais preocupante. Isso porque as crianças estão ficando o tempo todo em casa e muitas não têm espaço para praticar atividade física. Além disso, o tédio e a ansiedade causados pelo confinamento acabam incentivando uma alimentação nada saudável.

Para ajudar os pais a lidar com essa questão, enumeramos algumas dicas de como prevenir a obesidade infantil. Continue lendo.

 

Os perigos da obesidade infantil

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a obesidade infantil de causa nutricional ou exógena é a mais frequente e está diretamente associada à alimentação inadequada, sedentarismo e problemas emocionais.

Além disso, ainda segundo a SBP, existem alguns fatores que têm relação com o início da obesidade, tais como os genéticos, fisiológicos, metabólicos, ambientais e comportamentais, sendo que os dois últimos podem diminuir ou aumentar a ocorrência dos anteriores.

Por isso, é importante que médicos abordem o tema nas consultas pediátricas com as crianças e seus familiares, pois os pais e/ou responsáveis fazem parte de um pilar primordial na prevenção da obesidade infantil.

Nesse sentido, eles devem ser bons exemplos de hábitos de vida saudáveis. Do contrário, a criança poderá adotar os mesmos comportamentos ruins da família, acarretando em diversos danos para o pequeno.

 

Problemas físicos

A obesidade infantil pode afetar a saúde da pessoa para o resto de sua vida. Isso porque crianças com excesso de peso podem levar esta condição para a vida adulta.

Além disso, a obesidade pode gerar muitas consequências danosas para o corpo como problemas vasculares, infecções, diabetes, colesterol alto e hipertensão. Essas condições podem aparecer ainda na infância ou anos mais tarde.

 

Abalo da saúde mental

Crianças obesas também podem ter um sério comprometimento de sua saúde mental. Isso pode gerar crises de ansiedade e até depressão.

Estes problemas ocorrem porque a obesidade infantil afeta diretamente a autoestima da criança.

 

Comprometimento do desempenho escolar

Por ter sua autoestima abalada, a criança se sente incapaz e inferior aos outros. A consequência disso na escola pode ser drástica.

Desestimulado, o pequeno pode não se interessar mais pelos estudos.

 

Prejuízo das relações sociais

Infelizmente, vivemos em um mundo cheio de cobranças da sociedade para que sigamos padrões pré-estabelecidos. Entre eles, está a estética.

Por causa disso e também pela baixa autoestima, muitas crianças obesas acabam encontrando dificuldade em fazer amigos. E tem mais: elas ainda são alvos de bullying.

Este tema foi discutido pela psicóloga Carla João Nogueira de Almeida, no XXIII Congresso Brasileiro de Nutrologia, em 2019. Segundo a psicóloga, crianças obesas têm 63% mais chance de sofrer bullying que vai desde um apelido até uma agressão física.

 

Como prevenir a obesidade infantil

Como você pode perceber, a obesidade infantil é um problema grave e que, por isso, não pode ser ignorada.

Há tratamentos, que podem variar de acordo com a idade e as complicações causadas pelo excesso de peso. Mas, todos exigem uma mudança do hábito de vida.

Um hábito de vida saudável também é a melhor maneira de prevenir a obesidade infantil.

Veja algumas dicas de como pais e responsáveis devem agir para evitar que as crianças fiquem acima do peso recomendado.

 

1 – Alimentação saudável durante a gestação e aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade do bebê.

Os cuidados para prevenir a obesidade infantil devem começar ainda na gestação. Isso porque o último trimestre da gravidez é um dos períodos críticos na vida nos quais pode ocorrer o aumento do número de células adiposas, ou seja, de gorduras. Há outros dois momentos que merecem atenção: o primeiro ano de vida e a adolescência.

Nos primeiros meses de vida, o leite materno tem todos os nutrientes necessários para o bebê. Por isso, o recomendado pelos pediatras é que ele seja exclusivo. Após os seis meses, o aleitamento materno deve ser complementado com uma alimentação saudável. É importante evitar excesso de açúcar, sódio e gordura. Desta forma, o bebê já adquire bons hábitos alimentares.

 

2 – Limite o tempo de telas.

O uso excessivo e sem moderação de dispositivos móveis pela criança pode causar entre outros diversos problemas a obesidade infantil.

Crianças que passam muito tempo assistindo a desenhos ou jogando em smartphones e tablets deixam de praticar atividades físicas.

É importante que mesmo em casa as crianças se mexam. Por exemplo, brincar de pique-pega, pular corda, dançar e ajudar em tarefas domésticas são bons exercícios para serem praticados diariamente.

 

3 – Estabeleça uma rotina para as refeições.

Todas as pessoas devem ter uma boa rotina de alimentação, principalmente as crianças que estão construindo seus hábitos alimentares.

Criança sem rotina acaba comendo a toda hora e esses pequenos lanches ao longo do dia não costumam ser nada saudáveis. Geralmente são biscoitos, pães e doces.

 

4 – Seja um bom exemplo.

Mudanças de hábito não acontecem do dia para a noite. Se a criança é sedentária e acostumada a uma alimentação ruim, os pais devem incentivá-la servindo como exemplo.

Tenha em casa apenas produtos saudáveis. Prepare uma fruteira com diversas opções de frutas e, nas refeições, monte pratos coloridos com verduras e legumes para toda família.

Além disso, pratique uma atividade física com seu filho. Vocês podem jogar bola no quintal ou até na sala de casa, dançar juntos, enfim, fazer brincadeiras com bastante movimento.

Todas essas estratégias para prevenir a obesidade infantil devem ter o objetivo de uma melhoria do bem-estar geral da criança. Com hábitos infantis saudáveis ela terá grande chance de se tornar um adulto saudável.

Gostou desse artigo? Leia também “Transforme o momento da alimentação da criança em diversão e aprendizado”.

Compartilhe em suas redes sociais!