Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

Memória afetiva: como construir lembranças saudáveis para as crianças

memória afetiva vínculo familiar pais e filhos

Memória afetiva: como construir lembranças saudáveis para as crianças

memória afetiva vínculo familiar pais e filhos

A memória afetiva é um elemento muito importante no desenvolvimento infantil. Com ela, os pequenos aprendem sobre seus sentimentos, limites e funcionamento do próprio corpo e emoções, garantindo um crescimento cognitivo e emocional saudável. Então, como ajudar em sua construção?

Há diversas formas de auxiliar seu filho a construir uma memória afetiva a fim de colher todos seus benefícios para um desenvolvimento saudável. Pensando em ajudar você nessa missão, preparamos este conteúdo com as principais informações sobre o tema. Confira!

 

O que é memória afetiva?

A memória afetiva nada mais é do que aquela lembrança que surge por meio de elementos sensoriais e emocionais. Assim, ela aparece a partir de gatilhos específicos, como sons, cheiros, sabores e cores que remetem a algo importante que aconteceu no passado.

É, então, por meio de fatores sinestésicos que montamos esse tipo de memória e recordamos a nossa infância e adolescência quando adultos. Por exemplo, você pode passar na frente de uma padaria e sentir um cheiro de uma fornada especial saindo e, automaticamente, sentir na pele a felicidade que aparecia quando sua avó preparava um pão diferente para ser compartilhado em família.

O cheiro de uma comida preparada em família, um toque de massagem dos pais, escutar uma música a todo o volume dentro de casa constroem memórias afetivas que são carregadas durante a nossa vida e acionadas por meio de um gatilho similar. Assim, mantemos vivas as nossas histórias e lembranças de infância.

É por isso que fortalecer as memórias afetivas é tão importante. Elas são capazes de rememorar aquilo que já vivenciamos e trazer um sentimento do passado para o presente, auxiliando inclusive no desenvolvimento infantil de seu pequeno!

 

Como as memórias são formadas?

Como você já deve imaginar, a memória é formada a partir de lembranças que estão em nossa consciência. Durante os primeiros anos de vida, o bebê ainda não tem uma memória contínua. Ele carrega consigo pontos isolados de sua experiência que ficam marcados por meio de vivências impactantes.

Assim, como a criança está aprendendo sobre o universo sensorial, descobrindo novos sons, toques, cheiros, cores e sabores, é natural que os pontos mais marcantes de seu crescimento estejam relacionados a esses fatores. Afinal, todos nós temos a tendência de nos concentrar naquilo que chama mais a nossa atenção, não é mesmo?

Nesse sentido, a partir da curiosidade do pequeno em entender as novidades sensoriais, ele constrói afetos pelas experiências e consegue gravá-las em sua consciência. Desta forma, no futuro, essas lembranças surgem como memórias afetivas. Isso faz com que ele seja capaz de explorar todo o seu desenvolvimento a partir desses gatilhos sensoriais, aprimorando o autoconhecimento.

Indo mais além, o processo de formação de memórias afetivas também contribui muito para o reconhecimento das diferentes sensações e emoções que surgem a partir de acontecimentos importantes. Por exemplo, uma simples massagem dos pais pode ser associada com o sentimento de cuidado e segurança, podendo ser acionada com facilidade quando o pequeno se sentir amedrontado.

 

Como os pais podem ajudar na construção da memória afetiva

Uma das grandes questões quando pensamos em memória afetiva diz respeito às melhores técnicas para ajudar em sua formação e consolidação no desenvolvimento infantil. Por ser uma lembrança que envolve a esfera sensorial, existem muitas maneiras de ajudar em sua construção.

Nos próximos tópicos, separamos as melhores ações que você pode realizar com seu filho para ajudá-lo no desenvolvimento de memórias afetivas e, de quebra, fortalecer o vínculo entre vocês. Acompanhe!

 

Passar mais tempo de qualidade com os pequenos

O tempo é um fator relativo para as famílias. Afinal, o que define um tempo de qualidade para ser aproveitado com os filhos? A verdade é que é sua família que decide o período necessário para fortalecer o vínculo familiar.

Alguns filhos demandam uma atenção mais dedicada, enquanto que outros gostam de ter mais tempo para si. Assim, independentemente da quantidade de tempo dedicada para aproveitar com o pequeno, o fundamental para garantir que esse período seja de qualidade é encontrar formas de brincar em casa com as sensações.

Aqui, você pode separar um momento de sua rotina com seu filho para fazer uma receita diferente na cozinha, brincar no jardim ou até mesmo criar um dia em que os limites são mais flexíveis e a criança pode pular no sofá, montar um forte com lençóis na sala e até mesmo dormir em um horário diferenciado.

 

Ter participação ativa nas atividades escolares

Não há como negar: muitas memórias afetivas são criadas no ambiente escolar. No ensino infantil, seu filho trabalha com colagens, culinária e leitura infantil criativa. Por meio dessas atividades, a aprendizagem é aprimorada e os laços afetivos entre a criança e seus responsáveis são reforçados.

Por isso, participar das atividades escolares, como ajudar seu filho com as tarefas de casa e comparecer às reuniões de pais e responsáveis, é uma excelente forma de ajudá-lo na criação de lembranças afetivas.

 

Compartilhar refeições

Você se lembra de que comentamos sobre a possibilidade de separar um momento na sua rotina para cozinhar com seu pequeno? Pois é, a culinária é um excelente ponto de partida para formar afetos durante o desenvolvimento infantil. Afinal, ela tem todos os aspectos sensoriais importantes: olfato, paladar, visão, tato e audição.

No entanto, se a sua rotina não permite a ida à cozinha com muita frequência, que tal compartilhar refeições com seu filho? Você pode escolher uma delas para ser realizada em família, como o café da manhã, almoço, jantar ou mesmo um lanche da tarde.

Com isso, você garante não apenas um tempo para sentar e apreciar uma bela mesa com diferentes cores, texturas, cheiros e sabores, mas também um momento junto para conversar e fortalecer os vínculos familiares. Lembre-se de que é a articulação dos sentidos com experiências emocionais que formam memórias afetivas.

 

Ler para seu filho

Indo mais além, é possível inserir um dia na sua rotina semanal para ler para seu pequeno e garantir um tempo de qualidade essencial na formação de lembranças emocionais. Isso porque a leitura em voz alta auxilia na formação da imaginação e potencializa a sensação de confiança e segurança entre pais e filhos.

Ao contar uma história para a criança, ela se sente contemplada no universo fictício e consegue se imaginar dentro das narrativas de cada personagem. Ele pode ser, às vezes, o herói, o vilão ou o coadjuvante, entendendo a importância de cada um na construção dos cenários.

E mais: ao longo do desenvolvimento, esse pode ser um período específico para todos lerem juntos e compartilhar o que estão aprendendo com os livros. Assim, o sentido do olhar articula-se com a imaginação, criatividade e construção de um laço afetivo familiar importante, auxiliando até nas habilidades de comunicação de seu filho.

Percebe como a memória afetiva é importante para o crescimento de seu pequeno? Afinal, ela garante as lembranças importantes da infância e auxiliam no desenvolvimento pessoal e autoconhecimento dele! Para auxiliar na sua formação, lembre-se de articular os sentidos com as emoções nas atividades realizadas em casa e na escola.

E então, o que achou do nosso artigo? Quer saber mais sobre como a leitura pode fortalecer as memórias afetivas? Entre em contato conosco!

Compartilhe em suas redes sociais!