Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

7 dicas para incentivar seu filho a gostar de aprender

mãe e filho estudando lição de casa tarefa da escola gostar de aprender

7 dicas para incentivar seu filho a gostar de aprender

mãe e filho estudando lição de casa tarefa da escola gostar de aprender

As crianças são curiosas, adoram descobrir o novo e explorar o desconhecido. Mas, algumas situações podem desmotivá-las a vivenciar novas experiências. Por isso, pais, responsáveis e professores devem saber agir para incentivá-las a gostar de aprender.

O gosto pela aprendizagem é um dos dez pilares da inteligência emocional. Quando a criança adquiri esta competência socioemocional, ela ganha muitas habilidades, como:

– ser criativa;

– ter humildade;

– ser capaz de aplicar teorias aprendidas na prática;

– ter foco, concentração e senso crítico.

 

Percebe a importância de incentivar seu filho a gostar de aprender? Para lhe ajudar, reunimos neste artigo possíveis causas do desinteresse da criança pelo aprendizado e dicas para despertar o desejo pelo conhecimento. Boa leitura!

 

Possíveis causas de a criança não gostar de aprender

7 dicas para incentivar seu filho a gostar de aprender

Como já dissemos, as crianças são curiosas. É natural elas gostarem de conhecer e de explorar coisas e conhecimentos novos. Então, quando um pequeno está desmotivado, é importante descobrir o motivo deste comportamento.

Veja, a seguir, quais são as possíveis causas do desinteresse das crianças pelo aprendizado.

 

– Preferência por outros assuntos

Geralmente, o desinteresse de uma criança é uma resposta a ter que fazer algo que ela não queira. Essa mesma criança pode estar altamente motivada para aprender outras coisas de sua própria escolha.

É claro que não podemos nos concentrar apenas naquilo que gostamos. Na escola ou no trabalho, por exemplo, temos nossas responsabilidades. E, mesmo não sendo em um assunto que desperta nossa empolgação, muitas vezes, precisamos estar em constante reciclagem de conhecimento. Mais adiante, vamos falar sobre como conversar sobre isso com as crianças.

Contudo, pais, professores e responsáveis precisam saber identificar o gosto do pequeno e oferecer oportunidade para que ele vivencie descobertas naquela área. Uma criança satisfeita em conhecer mais sobre as coisas de seu interesse, tem chance maior de gostar de aprender sobre diversos outros assuntos.

 

– Altas expectativas de outras pessoas

A sociedade – pais, escola e família – costuma cobrar um esforço que, muitas vezes, ultrapassa os limites das crianças. O desejo de garantir um futuro de sucesso a elas acaba gerando uma cobrança exagerada por parte dos responsáveis.

Assim, os pequenos ficam com uma agenda lotada de tarefas. O resultado é uma estafa física e mental. E isso impossibilita o gostar de aprender. Afinal, as crianças ficam exaustas.

 

– Superproteção

Muitos pais assumem responsabilidades dos filhos. Alguns, por exemplo, tomam a tarefa da escola como um compromisso deles e não das crianças.

Se você faz muito pelo seu filho e não o deixa ter as consequências das atitudes dele, é possível que ele adote a crença de que é incapaz. Então, ele desiste de aprender porque é mais fácil, já que os pais fazem tudo por ele, e evita ter que lidar com o fracasso.

 

– Comparações

Comparar a criança com o irmão, primo ou colega de escola pode ser bastante desmotivador e interferir negativamente no desenvolvimento da competência socioemocional gostar de aprender.

Fazer comparações é uma maneira de estimular uma competição nada saudável para crianças. Além disso, essa atitude pode intensificar o ciúme de irmãos.

 

– Falta de rotina

A falta de rotina prejudica o desenvolvimento da criança de maneira geral. Além disso, quando a criança segue um planejamento (elaborado em conjunto – pais e filhos), ela já sabe o que vai acontecer ao longo do dia. Desta forma, torna-se mais fácil e até prazeroso ela se dedicar aos estudos.

Crianças sem rotina podem ser muito influenciadas por hábitos ruins, como, por exemplo, passar horas em frente às telas, assistindo a desenhos ou jogando videogame.

 

– Doenças

Dificuldade de concentração, hiperatividade ou a absoluta falta de interesse na hora de aprender nem sempre estão ligadas às causas citadas acima. Alguns desses comportamentos podem estar associados a doenças neurológicas que prejudicam o desempenho escolar e trazem prejuízos à vida adulta, caso não sejam tratadas o quanto antes.

Segundo a neuropediatra do Hospital do Coração (HCor), Maristela Costa, os problemas neurológicos mais comuns entre crianças e adolescentes na escola são: dislexia, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), déficit de processamento auditivo (DPA) e as chamadas discalculias – que interferem na capacidade de calcular e no raciocínio lógico da criança.

De acordo com a médica, cada um desses distúrbios aparece em diferentes intensidades e, quanto mais sutis, mais difíceis de ser identificados. Por isso, pais e professores devem estar atentos. Ao notar qualquer dificuldade de aprendizado da criança, é preciso buscar a causa, muitas vezes, com o auxílio de um especialista como pediatra ou psicólogo e, caso seja uma doença, iniciar o tratamento.

É importante ter atenção também às mudanças repentinas de comportamento da criança. Ou seja, se seu filho gostava muito de fazer a lição de casa e de repente perdeu o interesse, isso pode significar algum problema na escola ou no próprio lar. Ele pode estar sendo alvo de bullying ou sofrendo com a separação dos pais, por exemplo.

Diálogo e um tempo de qualidade ao lado dele podem identificar as causas.

 

Como incentivar seu filho a gostar de aprender

7 dicas para incentivar seu filho a gostar de aprender

Agora que você já sabe quais são as possíveis causas do desinteresse da criança pelo aprendizado, veja nossas 7 dicas para incentivá-la a gostar de aprender.

 

1 – Fale sobre a importância de aprender

Mostre exemplos de pessoas que se dedicaram a um aprendizado de um assunto e obtiveram sucesso nesta área. Explique que gostar de aprender é muito mais do que ir bem na escola. Ter esta competência socioemocional bem desenvolvida estimula diversas outras habilidades.

 

2 – Respeite a criança

Não grite com ela nem se canse repetindo palavras. Em vez disso, haja com consistência, gentileza, firmeza, dignidade e respeito. Por exemplo: se seu filho não quer fazer a lição de casa, pegue-o pela mão, leve-o até a mesa e mostre a tarefa que ele precisa fazer. Depois, deixe-o se responsabilizar pelas consequências das atitudes dele.

 

3 – Ajude seu filho a criar metas

Pergunte ao seu filho o que ele faria se fosse um gênio da lâmpada e pudesse realizar um sonho próprio. Além de ele ter uma meta a atingir, você terá informações sobre os reais interesses de seu filho. Assim, ficará mais fácil estimulá-lo a aprender já que vocês poderão se concentrar nos gostos e pontos fortes dele.

 

4 – Encoraje seu pequeno

Ensine que os erros são ótimas oportunidades de aprendizado. Se ele não vai bem em determinada atividade, não o proíba de fazer algo em que ele se sai bem. Em vez disso, ajude seu filho a ter coragem para aprender e tentar novamente.

 

5 – Utilize brincadeiras para incentivar seu filho a gostar de aprender

Criança aprende brincando e as brincadeiras também estimulam o gosto pelo aprendizado. Monte teatrinhos sobre os assuntos estudados, cante músicas, use fantoches e brinquem muito. Isso estimula a criatividade e a imaginação.

 

6 – Visite espaços educativos

Museus, teatros e zoológicos são ótimas opções de passeios em família e oportunidades de aprender de forma diferente e divertida.

 

7 – Tenha um tempo de qualidade com seu filho

A presença ativa dos pais é essencial para um desenvolvimento saudável das crianças. São por meio dos estímulos e carinho dos pais que os filhos desenvolvem habilidades físicas, cognitivas e emocionais.

O Clube Auge, o primeiro clube de leitura infantil com inteligência emocional do Brasil, desenvolveu materiais exclusivos com o objetivo de otimizar o tempo em família, muitas vezes tão corrido, transformando-o em um momento divertido e cheio de aprendizado de competências socioemocionais para crianças e adultos.

 

Como funciona o Clube Auge?

Todo mês, os assinantes recebem um livro, um jogo e uma revista, desenvolvidos por psicólogos e pedagogos.

 

Livro

Cada narrativa aborda uma competência e muitas habilidades socioemocionais.

As histórias acontecem na floresta com uma turminha de animais muito animada e especial. Juntos, os personagens passam por experiências e aprendem a lidar com suas emoções, como expressá-las, quais são seus impactos no bem-estar e na qualidade das relações que estabelecem uns com os outros.

 

Jogo das Emoções

O jogo trabalha as quatro emoções básicas – alegria, tristeza, raiva e medo, além de trazer um bate-papo de interação com os comportamentos saudáveis e não saudáveis da Turma Auge. De forma divertida, os pais estimulam o desenvolvimento pessoal dos filhos.

 

Revista da Família

Na Revista da Família, os adultos encontram informações sobre a importância das competências socioemocionais, além de dicas, técnicas e ferramentas para enriquecer o aprendizado da família no dia a dia.

Com a leitura da revista, os pais podem explorar ainda mais as competências socioemocionais trazidas por meio da narrativa e do Jogo das Emoções.

 

Resultado? As crianças aprendem de maneira natural e interativa, o que faz delas pessoas com senso crítico, capaz de gerir suas emoções e se relacionar de forma saudável com os outros. Além disso, elas são incentivadas a gostar de aprender. Já os pais reforçam o vínculo afetivo, de amizade e de confiança com seus filhos. É uma experiência mágica para toda família.

Compartilhe em suas redes sociais!