Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

Depressão infantil: saiba identificar os sinais o quanto antes

depressão

Depressão infantil: saiba identificar os sinais o quanto antes

depressão

Tédio, timidez e insônia são problemas comuns para algumas crianças, mas que não devem passar despercebidos aos pais já que eles podem ser sinais de algo bastante grave: depressão infantil. Se seu filho tem um desses sintomas ou é agressivo, tem dificuldades de relacionamentos na escola ou, ainda, briga muito com os irmãos, você precisa ler este artigo.

Saber identificar os sintomas da depressão em crianças não é tarefa fácil. Entretanto, o quanto antes as características depressivas forem percebidas pelos pais, cuidadores ou professores, maior será a chance de reverter esse estado.

A depressão infantil é um transtorno mental sério que prejudica a infância e pode influenciar negativamente o futuro pessoal e profissional do pequeno.

Neste artigo, vamos falar sobre os vários sinais e sintomas da depressão em crianças. Eles podem se manifestar de diversas formas – alterações de humor, cognitivas, comportamentais e fisiológicas, bem como em seus relacionamentos interpessoais. Acompanhe.

 

Sintomas da depressão: como identificá-los

A depressão pode ter causa genética, quando há deficiência de substâncias cerebrais ou ainda ter origem em algum evento estressante.

Geralmente, esse transtorno afeta adultos por volta dos 30 anos de idade. Contudo, o aparecimento desta doença em crianças tem sido cada vez mais comum.

O mundo moderno tem exposto os pequenos a diversas situações que geram ansiedade, um dos gatilhos para a depressão.

Crianças depressivas precisam receber tratamento profissional assim que os primeiros sintomas forem identificados. Por isso, com base no livro “A prática clínica da terapia cognitiva com crianças e adolescentes”, preparamos uma lista com os principais sinais da depressão infantil. Confira:

 

1 – Alterações de humor 

Crianças depressivas, com frequência, apresentam humor deprimido ou triste. Porém, algumas podem ficar irritadas, raivosas, aborrecidas ou ainda entediadas, como se tudo tivesse perdido a graça.

Além disso, o pequeno pode ter um sentimento de desesperança e até manifestar desejo de morrer.

Outra característica é o decréscimo no interesse ou no prazer nas atividades que costumava apreciar, como desenhos animados e brincadeiras, por exemplo. Esse sintoma da depressão é conhecido como anedonia, que também é manifestado pela apatia e o desinteresse em passar o tempo com os amigos.

Muitas vezes, as outras crianças também se afastam da criança deprimida devido aos seus comportamentos socialmente retraídos, aumentando ainda mais o sentimento de solidão do pequeno que está sofrendo com o transtorno mental. Vamos falar mais sobre isso no tópico 5. Continue lendo.

 

2 – Sintomas cognitivos da depressão

Criança deprimida atribui fracassos ao seu próprio comportamento e conquistas ao desempenho de outra pessoa. Ou seja, ela apresenta estilos cognitivos negativos e atribuições negativas.

Por exemplo, em um jogo de futebol, se o time da criança deprimida perde, ela acredita que a culpa foi dela. Se ganha, ela diz que a vitória só foi possível porque um colega conseguiu recuperar a bola quando ela deu o passe errado.

As crianças que sofrem de depressão, em geral, têm uma perspectiva pessimista para tudo. Assim, costumam generalizar eventos negativos e fazer previsões de resultados negativos, mesmo se as evidências apontarem o contrário.

Nesse contexto, os eventos positivos perdem importância e são esquecidos, enquanto os negativos são supervalorizados.

Por exemplo, em uma festa de aniversário, a criança nem se importa com aqueles que brincaram com ela, pois ela fica angustiada pelos colegas que não fizeram isso. Assim, já pensa “ninguém gosta de mim”.

Outro sinal cognitivo da depressão é a baixa autoestima. A criança não consegue dizer nada positivo sobre si mesma e deseja mudar vários aspectos em sua aparência ou comportamento.

A atenção e a concentração são áreas cognitivas que sofrem o impacto da depressão. Por isso, algumas crianças deprimidas são distraídas, têm dificuldade para completar tarefas e tomar decisões.

 

3 – Sintomas comportamentais da depressão

Comportamentos agressivos, teimosia, briga com irmãos, falta de educação com adultos, dificuldade de se relacionar com os colegas podem ser sintomas de depressão infantil. Esses sinais são bastante comuns em crianças mais novas que ainda não sabem como lidar com suas emoções.

Aquelas com mais idade e que já conseguem identificar melhor suas aflições exibem sintomas depressivos mais típicos como a tristeza.

É importante que os pais observem seus filhos, pois os sintomas podem variar dependendo de cada criança. Algumas podem apresentar agitação ou inquietação. Já em outras ocorre o oposto. Elas parecem estar sempre cansadas.

Um sinal comportamental frequente e, às vezes, difícil de identificar é o retraimento social. A criança pode até ter muitos amigos, mas é preciso observar a frequência das interações com os colegas.

Crianças deprimidas costumam recusar convites de aniversário ou oportunidades para passar o tempo com os amigos. Na escola, durante o recreio, elas não costumam interagir com ninguém, só ficam de longe observando as outras crianças brincar. Esse comportamento gera ainda mais sentimentos de isolamento e de depressão.

 

4 – Sintomas fisiológicos da depressão

Os sintomas físicos são difíceis de detectar porque ou a criança não tem capacidade de verbalizar o que sente ou tem queixas infundadas, como dores de cabeça e de barriga.

Dois sinais que podem chamar a atenção dos pais são problemas com a alimentação e o sono. Perda de apetite, ganho ou perda de peso além do esperado, dificuldades para adormecer, despertares noturnos ou ainda sono excessivo devem ser investigados.

 

5 – Sinais interpessoais

Se seu filho chega em casa reclamando que não tem amigos ou que é rejeitado pelas crianças da escola, fique alerta.

Crianças deprimidas, por terem dificuldade de socialização, podem parecer tímidas e, por isso, sentem-se isoladas. Outras por estarem geralmente tristes ou chorar sem motivo podem ser alvo de brincadeiras e ainda ser rejeitadas pelos colegas.

Os pequenos que sofrem de depressão também podem ser mais agressivos, afastando ainda mais os amigos.

Ter com quem conversar, brincar ou interagir é importante para qualquer ser humano. A falta de amizade é um fator de risco para sintomas depressivos e, segundo pesquisas, ter amigos é um fator protetor desse transtorno mental.

 

Como prevenir esse transtorno mental nas crianças?

A melhor maneira de prevenir a depressão em crianças é conhecer o seu filho e ensiná-lo a falar e lidar com suas próprias emoções. Ter uma alimentação saudável e praticar atividade física também são formas importantes de prevenção.

Assim que perceber algum sintoma depressivo no seu filho, procure ajuda de um especialista. Não espere.

A depressão, quando não tratada, tem consequências graves para o presente e futuro da criança.

Conheça mais sobre o Clube Auge, melhore o relacionamento com seu filho e saiba como criar uma criança mais feliz, saudável e preparada para o mundo.

Powered by Rock Convert
Compartilhe em suas redes sociais!