Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

A importância da criatividade na infância e como desenvolvê-la

criança criativa criatividade infantil

A importância da criatividade na infância e como desenvolvê-la

criança criativa criatividade infantil

A criatividade é um conceito amplo, com diversas definições. Originada do latim “creatus”, a palavra representa a qualidade criadora do ser humano, associando-a com a habilidade que temos de inovar e inventar formas diferentes de ver o mundo. Assim, a criatividade vai muito além de ser capaz de criar um objeto novo. Ela diz respeito ao desenvolvimento de formas inovadoras de relacionamentos, aprendizagens e autopercepção.

É por isso que essa competência é tão importante para nós. A cada dia encontramos desafios que nos movimentam em direção a reinventar tudo o que já conhecemos sobre nós e aqueles com quem nos relacionamos — pais, amigos, colegas e parceiros afetivos. Então, por que ela seria diferente para as crianças?

A criatividade infantil, nesse sentido, envolve não só ações que estimulam a imaginação dos pequenos, mas também práticas que instigam uma nova forma de pensar o mundo e suas relações.

Neste artigo, explicamos tudo sobre a importância dessa qualidade para as crianças e como desenvolvê-la em seus filhos. Boa leitura!

 

A importância da criatividade para as crianças

Uma crença muito comum em relação à criatividade refere-se à ideia de que ela é um talento inato, ou seja, que somente quem já nasceu com essa habilidade pode desenvolvê-la e ser um adulto criativo. Felizmente, isso não é verdade. Esse conceito equivocado surge a partir do momento que a confundimos com a imaginação.

É claro que ser criativo envolve o uso da imaginação — sobretudo para as crianças. Mas, como comentamos, essa qualidade vai muito além da habilidade de criar um novo objeto. E mais: ela não se limita ao uso da arte. Muito pelo contrário, a criatividade se faz presente em todas as áreas da nossa vida, no trabalho, na escola e na relação com os outros.

Então, por que ela é tão importante para os pequenos?

Quando pensamos em criatividade infantil, precisamos refletir sobre os impactos que ela causa na qualidade do desenvolvimento dos pequenos. Uma criança criativa é capaz de usar e incentivar a sua imaginação sem medo de ser julgada, de inventar novas formas de ver o mundo que podem transformar a sua realidade.

Para crianças que sofrem com o bullying, por exemplo, a criatividade pode ser uma válvula de escape. Por meio de atividades de imaginação e fantasia, como a criação de histórias, a criança pode compartilhar seus relatos com os pais e responsáveis que, por sua vez, podem tomar ações estratégicas contra o fenômeno.

Indo mais além, crianças que desenvolvem essa característica conseguem melhores oportunidades de trabalho. Isso porque a criatividade estimula a curiosidade e a agilidade mental, competências que muitas empresas procuram por possibilitar a criação de novas formas de estar no mercado.

Para concluir, muitos empreendedores e profissionais do futuro acreditam que a criatividade garante uma postura mais flexível no mercado de trabalho. Consequentemente, as crianças que estão habituadas a essa característica tendem a se tornar colaboradores capazes de se adaptar aos avanços tecnológicos e aproveitar com mais eficácia as oportunidades inovadoras.

 

Os benefícios de uma criança se tornar criativa

Não há como negar: para a criatividade existir, é necessário ter espontaneidade, ousadia e liberdade para errar. Essas três habilidades trazem consigo outras características que os pequenos desenvolvem para fortalecer sua capacidade criativa. Isso quer dizer que, além de garantir uma competência essencial para aumentar sua qualidade de vida, seu filho consegue:

  • enfrentar seus medos com mais facilidade, pois está habituado a lidar com os erros de forma saudável;
  • desenvolver maior resistência à frustração;
  • estimular sua capacidade comunicativa e habilidades sociais, ao compartilhar com outros suas ideias e inovações;
  • desenvolver maior abertura para o que é novo, compreendendo as diferenças que existem entre cada pessoa;
  • aprimorar o seu pensamento crítico em relação à vida em sociedade;
  • fortalecer seu senso de empatia e de solidariedade;
  • aumentar sua autoestima, autoconfiança e autocontrole;
  • desenvolver a paciência e aprender a controlar sua impulsividade;
  • fortalecer seu conhecimento sobre ética e respeito;
  • aprender a lidar com o ócio e o tédio, além de respeitar o tempo de descanso.

 

Você percebe como esses benefícios fortalecem a inteligência emocional infantil e garantem um desenvolvimento mais saudável para seu filho? Afinal, ele usufrui de todas essas competências socioemocionais durante o seu crescimento, trabalhando com maior profundidade o seu autoconhecimento e preparando-se para as outras fases da vida.

 

O papel dos pais na formação da criatividade infantil

Quando falamos em criatividade infantil, não é difícil encontrar pais que se questionam sobre seu papel no fortalecimento dessa característica de seus filhos. Afinal, ainda existe um pensamento comum entre algumas famílias de que somente a escola é responsável pelo seu estímulo.

Por outro lado, ainda existe a convicção de que a criatividade é inata e sinônimo de imaginação, sendo o seu desenvolvimento algo impossível. No entanto, já compreendemos que isso não é verdade, certo? Garantir o fortalecimento dessa habilidade é uma responsabilidade importante dos pais, tendo em vista o ganho de todos os benefícios que citamos no último tópico.

Isso quer dizer que a escola não apresenta nenhuma relevância na formação emocional dos pequenos? Se você acredita que a resposta é negativa, então, está coberto de razão. Assim como os pais não são responsáveis pelo desenvolvimento infantil em sua integridade, as escolas também não devem se isentar de seus compromissos.

Em outras palavras, os pais e a instituição de ensino precisam trabalhar juntos para fortalecer a criatividade infantil e garantir a conquista de todas as suas vantagens para os pequenos. Isso pode ser feito por meio de atividades lúdicas e brincadeiras compartilhadas entre pais, filhos e professores.

Além disso, os pais podem — e devem! — investir na criação de uma rotina junto com seu filho para integrar atividades que estimulem a imaginação, o entusiasmo, a espontaneidade e a liberdade. Com essas brincadeiras, os pequenos conseguem aprimorar essa qualidade ao mesmo tempo que os pais estimulam sua própria criatividade.

 

As formas de estimular o desenvolvimento criativo

Até aqui compartilhamos com você os motivos pelos quais a criatividade é essencial para os pequenos e qual é a responsabilidade dos pais na sua formação. Com todas essas informações em mente, você deve estar se questionando: então, o que pode ser feito para auxiliar no desenvolvimento criativo do meu filho?

Não existe somente uma resposta para essa pergunta. Da mesma forma como o seu conceito é amplo e envolve diversas esferas, é preciso investir em diversas técnicas e atividades para estimular a criatividade infantil, englobando todas as suas áreas, como imaginação, espontaneidade e liberdade.

A fim de aprofundar seus conhecimentos e garantir o fortalecimento dessa competência em seu filho, separamos as principais formas para você estimular o desenvolvimento criativo do pequeno. Aproveite para colocar todas as dicas em prática!

 

Trabalhar em conjunto com a escola

Ao longo do conteúdo, explicamos a importância do trabalho dos pais em conjunto com a escola. O desenvolvimento e o fortalecimento de habilidades como criatividade, imaginação e outras competências socioemocionais são responsabilidades da família e da instituição de ensino, sendo indispensável seu trabalho em equipe.

Uma das melhores formas de fortalecer essa ação é conhecer como a escola possibilita o estímulo à criatividade, ou seja, descobrir as atividades realizadas, como funcionam as aulas de arte, como se dá o uso da tecnologia em sala e como são usufruídos os momentos de descanso, como o recreio.

Assim, é possível lançar mão das mesmas brincadeiras que são feitas em aula para dar continuidade à aprendizagem de seu filho. Além de garantir uma prática já conhecida, a criança pode se sentir mais livre para criar e imaginar outros cenários, por estar em um ambiente seguro e familiar.

 

Participar de brincadeiras lúdicas

A participação dos pais é indispensável para o desenvolvimento saudável das competências socioemocionais dos pequenos. Isso porque o seu filho se sente motivado para realizar as atividades e consegue se engajar com maior qualidade ao que está sendo feito, conquistando os melhores benefícios.

Por isso, incentivamos os pais a investirem em brincadeiras para fazer em casa com os pequenos, como:

  • criar receitas diferentes e cozinhá-las em família, aprendendo sobre a paciência, o respeito e a importância dos alimentos em conjunto com a criatividade;
  • montar quebra-cabeças com figuras diferenciadas, podendo associar uma história à imagem;
  • criar e pintar os próprios desenhos, indo além dos moldes tradicionais. Aqui, a dica é utilizar texturas e materiais diferenciados, como cartolinas e giz de cera;
  • terminar um caça-palavras e criar uma pequena história a cada palavra descoberta.

 

O grande objetivo da prática lúdica é, justamente, proporcionar novas experiências para os pequenos, colocando-os em contato com sensações que eles ainda não vivenciaram. Por exemplo, a simples troca da textura de papeis para desenhar pode estimular a criatividade da criança de maneira sutil, mas suficiente para que ela sinta a liberdade de criar uma forma de pintar.

No entanto, é fundamental prestar atenção para que essas atividades não se tornem uma rotina cansativa e frequente. A criatividade tem uma relação direta com a espontaneidade, não é mesmo? Então, deixar que as brincadeiras fluam no seu ritmo natural, em vez de roteirizá-las, é uma ação indispensável para garantir o seu fortalecimento.

 

Separe um tempo para criação de histórias

Você já parou para pensar como as histórias e os livros para crianças podem marcar a infância? Muitas começam a se interessar pela literatura a partir das narrativas que foram contadas para elas. Afinal, elas são capazes de estimular a sua imaginação, criar um cenário diferenciado da sua realidade e transportar o pensamento do pequeno para um mundo onde tudo é possível.

Então, por que não incentivar o seu filho a criar sua própria história? Escrita ou contada, ele pode montar personagens, elencar suas habilidades, pensar em uma trama principal e abusar da imaginação para criar um cenário diferenciado daquilo que ele conhece. Dessa maneira, com certeza sua criatividade florescerá.

Uma brincadeira muito divertida e adorada pelas crianças é a troca de histórias. Nessa prática, os pais podem criar suas próprias narrativas ao mesmo tempo que a criança desenvolve a sua. Depois que todos terminarem, cada um compartilha com a família a sua obra de arte.

 

Brinque de fazer perguntas diferentes

Não é nenhum mistério que as crianças adoram fazer perguntas, algumas, inclusive, difíceis de responder. Então, por que não utilizar essa necessidade e busca pelo conhecimento como forma de estimular a sua criatividade? Além de suprir o desejo infantil, você também encontra uma maneira saudável de lidar com respostas que poderiam ser difíceis de ser compartilhadas.

Para fazer isso, você pode montar um jogo de perguntas e respostas junto com seu filho. Primeiro, ambos escrevem em pequenos cartões as questões que têm curiosidade em saber. No segundo momento, cada membro da família retira uma carta por vez e tenta responder a questão. Quem não souber pode pedir ajuda de alguém e a explicação torna-se compartilhada.

Vale lembrar que essa atividade, além de ajudar o seu filho a compreender como funciona o mundo, também estimula o seu pensamento crítico e o respeito com o próximo. Consequentemente, tanto a empatia quanto a autoestima são fortalecidas, garantindo um amadurecimento saudável de sua inteligência emocional.

 

Transforme objetos

Outra atividade que os pequenos adoram realizar é a transformação de objetos. Isso porque as crianças conseguem entender que cada ação tem uma reação e que a utilização de peças pode ser transformada em algo totalmente inovador. Consequentemente, a sua imaginação se expande e abre espaço para que a criatividade se fortaleça.

Uma das melhores formas de transformar objetos é, sem dúvidas, por meio da arte. Você pode brincar com materiais reciclados, transformando caixas de papelão em casinhas de bonecas ou filtro de café em quadros com tonalidades e texturas diferentes.

Por outro lado, você também pode dar aos objetos outros significados, sem ter que transformar sua forma física ou sua função. O exemplo mais clássico dessa ação é a criação de uma cabana feita de lençóis, cadeiras e almofadas. Montar um pequeno forte na sala da sua casa com certeza criará um espaço físico e mental para estimular a criatividade de toda a sua família.

 

Os erros que podem cessar o potencial criativo das crianças

Você percebe como a criatividade é extremamente importante para o desenvolvimento infantil saudável de seu filho? Sem ela, ele encontrará mais dificuldades em lidar com a sua imaginação, bem como projetar realidades possíveis e inovadoras para ele viver no futuro, com um trabalho estável e coerente com seus gostos e desejos.

Acontece que investir em ações para a sua estimulação, ainda que indispensável, não é suficiente para fortalecer essa qualidade. É fundamental prestar atenção aos erros que podem diminuir o potencial criativo do pequeno e minar as atividades divertidas que você planejou.

Nesse sentido, ao evitar os erros que prejudicam o desenvolvimento infantil e, ainda, realizar as ações que estimulam a criatividade de seu filho, você monta um plano de ação muito eficaz para ele, abrindo espaço para a espontaneidade e liberdade criativa necessária na infância.

Pensando nisso, separamos os principais erros que diminuem o potencial criativo dos pequenos e colocam em risco o desenvolvimento da sua imaginação e liberdade de expressão. Continue lendo para saber quais são eles e como evitá-los!

 

Criticar em excesso as ações dos pequenos

Ainda que tentemos nos convencer de que as críticas são importantes para o nosso crescimento, dificilmente lidamos bem com análises e avaliações que evidenciam as nossas falhas, por mais educadas que elas possam parecer para nós.

Isso acontece por uma série de fatores, sendo que o principal deles é a relação que estabelecemos com a crítica desde a nossa infância. Muitos de nós recebemos avaliações negativas que enfatizavam as falhas na nossa personalidade, certo? Frases simples como “você é muito bagunceiro” ou “sua risada é escandalosa” mostram como as críticas à personalidade são uma realidade comum.

Dessa maneira, é possível compreender que as críticas podem diminuir o potencial criativo dos pequenos. Ao mesmo tempo, acabar com a sua motivação para pensar em algo novo. A lógica é muito simples: “já que tudo que eu faço de novo é criticado, então, vou apenas seguir as regras para que nada de ruim aconteça”.

Em contrapartida, não podemos deixar de analisar os afazeres dos pequenos para garantir que suas ações não tragam consequências nocivas para eles e outros. A melhor forma de equilibrar essa ambivalência é optar pela disciplina positiva e crítica ao comportamento, transformando frases que evidenciam uma personalidade vista como ruim para sentenças positivas, como:

  • em vez de falar “você é muito bagunceiro”, optar pela frase: “muito legal você se divertir com seus brinquedos, então, vamos arrumá-los para que depois você possa brincar novamente?”;
  • em vez de falar “sua risada é escandalosa”, optar pela frase: “adoro quando você ri e sente-se confiante em expor sua felicidade”.

 

Não utilizar com sabedoria os dispositivos eletrônicos

Os aparelhos eletrônicos podem ser uma mão na roda de famílias que têm muitos afazeres e responsabilidades. No entanto, utilizá-los com sabedoria é fundamental para evitar a diminuição do potencial criativo de seu filho. O ideal é optar por, no máximo, duas horas de uso por dia, dependendo da idade do pequeno.

Nesse período, seu filho deve ficar livre para escolher como ele quer passar o seu tempo. Aqui, ele pode assistir ao seu desenho preferido, brincar com um jogo aprovado pelos pais ou tirar fotos da família, por exemplo. Essa liberdade de escolha aumenta a sua autonomia e garante um uso mais eficiente da tecnologia para seu crescimento.

Agora, para pais que precisam deixar seus filhos conectados por mais tempo, a dica de ouro é procurar por jogos e atividades que estimulem sua criatividade, mesmo que em frente às telinhas. Por exemplo, é possível brincar de quebra-cabeça ou caça-palavras virtualmente. Assim, se você optar por essas atividades, é ideal buscar outras práticas para serem feitas nos momentos livres, como a criação de uma cabana ou contação de histórias.

Outra possibilidade de utilizar a tecnologia com eficiência é investindo em jogos de videogame. Atualmente, existem diversos jogos que estimulam a criatividade dos pequenos ao incentivá-los a cumprir desafios, encontrar passagens escondidas nos mapas, recolher recompensas e montar estratégias inovadoras para subir de nível.

 

Manter uma rotina restrita e com muitas atividades

Você se lembra de que citamos sobre a importância de evitar que as brincadeiras lúdicas façam parte de uma rotina cansativa? Pois é, uma das maiores ações que diminuem a criatividade dos pequenos é a criação de um cotidiano corrido e repleto de atividades, afinal, eles também precisam de tempo para descansar.

É fundamental compreender que o desenvolvimento infantil precisa de um período de descanso para sedimentar tudo o que está sendo aprendido. Explicamos: para a criança, toda descoberta é uma novidade, desde as mais simples até as mais complexas. Assimilar e associar cada conhecimento é uma ação cerebral que demanda energia.

Por isso, a inserção da criança em uma rotina corrida acaba não só dificultando o fortalecimento da sua criatividade, como também prejudica seu desenvolvimento cerebral. É como se cada brincadeira nova criasse uma barreira contra a sedimentação das novas aprendizagens. Além de ser cansativo, é prejudicial para a qualidade de vida de seu filho.

Então quer dizer que ele também precisa de um tempo ocioso? Sim! Da mesma forma que, após um dia inteiro de trabalho, nós precisamos descansar, o organismo da criança demanda um relaxamento para que o próprio cérebro consiga moldar, configurar e processar todas as novas informações recebidas.

Indo mais além, os momentos de tédio também garantem um aprendizado importante e oferecem um grande escopo para a imaginação. Afinal, são nesses períodos que os pequenos precisam inventar formas de ocupar o seu tempo após descansar e descobrir cada vez mais sobre o funcionamento do mundo de maneira saudável e prazerosa.

Ao montar uma rotina flexível, organizando os horários familiares de acordo com as funções de cada um, você encontra equilíbrio entre os seus afazeres e as atividades de seu filho. Além disso, consegue encontrar um tempo de qualidade para passar em conjunto.

 

A criatividade gera novas experiências

A criatividade desempenha uma função muito importante para o desenvolvimento infantil e para a qualidade de vida de seu filho, proporcionando a abertura para novas experiências de forma saudável e inovadora. Ao estimular essa característica, seu filho consegue fortalecer por conta própria sua inteligência emocional, competências socioemocionais e habilidades sociais, garantindo cada vez mais oportunidades melhores na vida.

Então, gostou do nosso artigo? Para encontrar mais conteúdos como este, assine a nossa newsletter! Assim, você receberá na sua caixa de entrada diversas informações sobre assuntos importantes do desenvolvimento infantil.

Compartilhe em suas redes sociais!