Blog Clube Auge.

Seus pequenos preparados para o mundo.

Autoestima infantil: como ajudar seus filhos a desenvolvê-la?

autoestima infantil pai e filha receita de pizza em família

Autoestima infantil: como ajudar seus filhos a desenvolvê-la?

autoestima infantil pai e filha receita de pizza em família

É preciso acreditar que somos capazes de atingir nossos objetivos para que possamos desenvolver todas as nossas potencialidades. Nesse sentido, é fundamental que a família trabalhe a autoestima infantil a fim de que as crianças cresçam seguras e confiantes.

Mas de que forma os pais podem contribuir para ajudá-los? Quais atitudes é preciso ter no dia a dia? Somente elogiar os feitos dos pequenos basta?

Se você também tem essa dúvida, veio ao lugar certo. Neste post, vamos explicar por que é importante desenvolver a autoestima das crianças e mostrar as maneiras práticas de como a família pode agir. Não perca!

 

Qual a importância de desenvolver a autoestima?

Bom, antes de tudo, é preciso explicar o significado de autoestima. É um termo que se relaciona à imagem positiva que temos de nós mesmos. Em outras palavras, é quando nos sentimos valorizados, seguros e determinados em nossas atitudes e opiniões.

A partir disso, já dá para perceber a importância de desenvolver a autoestima infantil. Quando a criança cresce insegura, ela não gosta de si mesma, acredita que faz tudo da forma errada e que os coleguinhas são sempre melhores que ela. Assim, pode ter problemas em seu desempenho escolar, no relacionamento com a família e ainda sofrer com ansiedade e depressão.

Portanto, é preciso ter em mente que as experiências que temos na infância podem moldar nossa personalidade e, com isso, o quanto gostamos de nós mesmos.

 

Por que trabalhar a autoestima infantil?

Infelizmente, vivemos em um mundo cheio de cobranças da sociedade quanto à estética que devemos ter ou ao desempenho que devemos alcançar, seja na escola ou na carreira. Desse modo, é papel dos pais interferir nessa questão, trabalhando para aumentar a autoestima infantil.

É necessário que a família valorize a criança e também a faça se valorizar. Porém, isso não é alcançado apenas com elogios a todo momento. É preciso saber como agir em cada situação, como mostraremos no tópico seguinte.

 

Como os pais podem ajudar seus filhos a ter uma autoestima elevada?

Sabemos que trabalhar a autoestima infantil não é algo fácil, mas com pequenas ações, muita conversa e bastante atenção, principalmente aos sentimentos dos filhos, os pais podem fazer um bom trabalho nesse sentido.

Confira a seguir algumas estratégias para você começar a colocar em prática.

 

Valorize o esforço das crianças

Para as crianças, pequenas ações que para os adultos já são automáticas, são, na verdade, uma tarefa árdua. Nesse contexto, é fundamental que a família elogie os esforços delas.

Então, quando seu filho guardar os brinquedos, arrumar o quarto, terminar a lição da escola ou realizar qualquer outra atividade para a qual tenha se dedicado, elogie seu esforço. Nessa hora, seja específico, enaltecendo os pontos positivos de determinada atitude dele.

Com isso, ele cresce sabendo que é capaz de fazer coisas por conta própria e que isso tem valor. Ao mesmo tempo, você desperta o senso de autonomia do pequeno, competência importante para seu desenvolvimento.

 

Permita que seus filhos façam escolhas

Em momentos comuns do dia a dia e, é claro, de acordo com a faixa etária da criança, permita que ela faça escolhas. Pode ser, por exemplo, para ela escolher se prefere colocar o tênis ou sandália para sair ou qual música quer escutar.

Assim, ela passa a se sentir importante e sabe que suas decisões e preferências têm valor na família. Fica, portanto, mais autoconfiante e mais encorajada a expor seus pontos de vista.

 

Fuja das comparações

Não tente educar seu filho fazendo comparações com irmãos, primos ou coleguinhas da escola porque isso pode abalar a autoestima infantil. Ele deve ser amado do jeito que é e sempre ser ajudado em caso de dificuldades.

Desse modo, se o amigo da escola tirou uma nota alta e ele uma nota baixa, em vez de ficar enaltecendo o desempenho da outra criança, procure entender o que aconteceu e dê o apoio necessário.

Saiba que mesmo as comparações positivas podem incitar um senso de competição desnecessário, que só vai pressionar o pequeno.

 

Incentive os pequenos a fazerem novas descobertas

A infância é uma fase para experimentações e descobertas. Por isso, encoraje seu filho a fazer atividades diferentes. Se ele está interessado em aprender a tocar piano, não diga que é algo difícil ou que ele não tem as habilidades necessárias. Pelo contrário: fale que, com dedicação, ele pode se sair muito bem e que também, se errar, é só persistir para que consiga atingir seus objetivos.

 

Dê atenção

Sabemos que a rotina dos pais é corrida e cheia de compromissos para cumprir. Mas, mesmo diante do cansaço, escute o que seu filho tem a dizer. Ele quer fazer perguntas, contar o que aconteceu no seu dia ou até mesmo demonstrar sua impressão sobre assuntos variados.

Por isso, dê atenção à criança para que ela cresça com a autoestima elevada. Assim, ela ficará confortável em se expressar, o que reforça sua autoconfiança.

 

Imponha limites com equilíbrio

É fundamental que a família imponha limites para que a criança conheça as regras e saiba como agir. Isso a deixa mais segura em seu dia a dia. Contudo, é preciso fazer isso com coerência e equilíbrio. Proporcione momentos mais livres em que ela possa viver novas experiências ou exercitar sua criatividade.

 

Valide as emoções das crianças

Caso a criança esteja estressada ou triste, não negligencie seus sentimentos. Procure escutá-la, reforçando que é importante reconhecer as próprias emoções e perguntando o que você pode fazer naquele momento para que ela se sinta melhor.

 

Não rotule seu filho

Por último, cuidado com seus impulsos na hora de conversar com a criança ou se referir a ela na frente dos outros. Não diga que seu filho é preguiçoso, distraído ou desajeitado, por exemplo. Isso porque ele pode incorporar essa opinião, ficando com a autoestima baixa. Busque sempre o lado positivo das situações, mostrando que, se ele se concentrar nos estudos, vai ficar fácil resolver os exercícios da prova.

Viu só como você pode trabalhar a autoestima infantil com pequenas atitudes no cotidiano? Valorize a criança, seu empenho e, principalmente, suas opiniões e sentimentos.

Gostou das informações que trouxemos neste post? Então compartilhe este conteúdo com seus amigos em suas redes sociais!

Compartilhe em suas redes sociais!